Bom Dia, hoje é dia 24 de Maio de 2018 Inicial
VAMOS NOS CONHECER?ARTIGOSNOTÍCIASMODELOS E PEÇASLEGISLAÇÃOLINKSREDES SOCIAIS
 
 

NOTÍCIAS - É indevida a cobrança de tributos pela União sobre áreas contidas em ilhas costeiras que sejam sede de município

É indevida a cobrança de tributos pela União sobre áreas contidas em ilhas costeiras que sejam sede de município
É indevida a cobrança de tributos pela União sobre áreas contidas em ilhas costeiras que sejam sede de município
A 7ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região suspendeu a exigibilidade do pagamento da taxa de ocupação e laudêmio pretendida pela União sobre propriedade localizada em área contida em ilha costeira ou oceânica, sede de município. O Colegiado também impediu a inserção da impetrante no Cadastro Informativo de Créditos não Quitados do Setor Público Federal (Cadin).
 
Na apelação, a União defendeu a constitucionalidade de seu domínio sobre a propriedade, vez que situada em terreno de marinha registrado antes da atual Constituição Federal. Alegou também que a apelada detém apenas o domínio útil de bem da União, não podendo utilizá-lo a título gratuito.
 
Ao analisar o caso, a relatora, juíza federal convocada Maria Cecília de Marco Rocha, ponderou que o imóvel objeto da presente demanda caracteriza-se como “Nacional Interior”, desmembrado da área denominada Rio Anil, não integrando o conceito de terreno de marinha.
 
“Sobre o tema, a orientação jurisprudencial prevalente é no sentido de que, desde a promulgação da Emenda Constitucional nº 46/2005, todas as ilhas costeiras que contêm sede de município deixaram de pertencer à União, remanescendo, apenas, as áreas afetadas ao serviço público federal, as unidades ambientais federais e os terrenos de marinha e acrescidos”, explicou.
 
Segundo a magistrada, com base na citada jurisprudência, “resta inviabilizada a pretensão da União de obtenção e manutenção do domínio de áreas contidas em ilhas costeiras ou oceânicas que sejam sede de município, a partir da data da modificação constitucional, afastando a legitimidade da cobrança dos pretendidos tributos”.
 
A decisão foi unânime.
 
Processo nº: 0027425-67.2015.4.01.3700/MA
 
Data da decisão: 28/11/2015
Data da publicação: 07/12/2015

Imagem:Créditos Internet
Newsletter
Cadastre seu e-mail e receba novidades exclusivas.
Nome: 
E-mail: 
Cidade: 
8649 Repita o
código:
Fone:
92992315646
E-mail:
contato@rageliakanawati.com.br
Contato:
Atendimento On-line

 

Endereço: Av. Eduardo Ribeiro, 620, Edifício Cidade Manaus, Sala 307, 3º andar, Centro CEP 69010-001 / Manaus - Amazonas 
Telefones: (92) 3083-0080 (92) 99231-5646 
E-mail's: contato@rageliakanawati.com.br / kanawatiadvogadosassociados@gmail.com / ragelia.kanawati@gmail.com 
Facebook: @rageliakanawati
Instagram: @rageliakanawati
Facebook Profissional: @kanawatiadvocacia 
Instagram Profissional: @rkadvocacia
Sobre
Mais
- VAMOS NOS CONHECER? - ARTIGOS
- NOTÍCIAS - MODELOS E PEÇAS
- LEGISLAÇÃO - LINKS
- REDES SOCIAIS
Ragelia Kanawati - Transformando o Mundo através do Direito